Ligados pela saúde
WhatsApp Icon

Fale connosco
por WhatsApp

939670069

Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST’s – saiba mais e proteja-se!

Uma DST ou IST (infeção sexualmente transmissível), é uma doença que pode ser provocada por bactérias, fungos, parasitas ou vírus. Geralmente transmite-se pelo sangue, sémen e fluídos vaginais de uma pessoa para a outra, através de relações sexuais, sem que haja a devida proteção, quer seja por via vaginal, anal ou oral.

Como se manifestam?

Habitualmente as infeções sexualmente transmissíveis não dão queixas durante meses ou mesmo anos, e as pessoas ignoram que estão infetadas e sentem-se saudáveis. Mas podem transmitir as infeções aos/às seus/suas parceiros/as sexuais. Quando há sintomas, estes podem aparecer logo após o contacto sexual, ou levar semanas a meses a surgir.

Os sintomas variam entre homens e mulheres, mas, de uma forma geral, pode haver corrimentos, presença de vesiculas ou feridas na região genital, comichão ou irritação e dor ou ardor ao urinar, sendo que algumas pessoas se apresentam, assintomáticas. Apenas uma avaliação médica poderá confirmar um diagnóstico.

As IST´s mais comuns são: a Candidíase, a Clamídia; a Tricomoníase, a Gonorreia, o VIH/SIDA, o HPV- Vírus do Papiloma Humano; a Hepatite B, a Sífilis e o Herpes Genital.

Como se tratam?

As infeções sexualmente transmissíveis não se curam sem tratamento. As análises para o diagnóstico ou rastreio das IST`s são fáceis, seguras e confidenciais.

O tratamento das ISTs é feito de acordo com a causa e podem ter objetivo de eliminar o agente causador, normalmente as bactérias, ou aliviar os sintomas, como no caso das doenças provocadas por vírus, como o herpes e o HPV, por exemplo, já que os antivirais não conseguem expulsar o vírus do organismo.

À exceção do herpes genital, das verrugas genitais (ou condilomas) e da infeção pelo VIH (vírus da SIDA), a maioria das IST`s é facilmente curada com injeções ou comprimidos, entre eles, antifúngicos como no caso da Candidíase ou antibióticos como na Clamídia e Tricomoníase. O herpes deve ser tratado para reduzir a frequência e duração dos surtos, mas não tem cura. As verrugas podem ser removidas, embora o vírus responsável pela doença possa permanecer na pele ou nas mucosas muito tempo. O VIH tem tratamento que controla a infeção, diminuindo a transmissão aos/às parceiros/as, mas não tem cura. O tratamento impede ainda a evolução para formas graves da doença (SIDA) que neste caso podem ser muito debilitantes ficando o sistema imunológico da pessoa extremamente enfraquecido, expondo-a a diversos agentes infeciosos.

O diagnóstico e tratamento no início da infeção são fundamentais, para a cura sem complicações.

A melhor forma de prevenir uma DST é usar preservativo em todos os contatos íntimos, pois impede o contato direto entre os órgãos genitais, além de impedir o contato com o agente infecioso.