Ligados pela saúde
WhatsApp Icon

Fale connosco
por WhatsApp

939670069

ASMA: Cuidados Especiais a ter

ASMA: Cuidados Especiais a ter

A asma é uma doença crónica com uma prevalência elevada, que não tem cura mas pode ser controlada permitindo uma qualidade de vida normal. Segundo a OMS, ocorre em todos os grupos etários afetando mais de 300 milhões de pessoas a nível mundial, sendo responsável por milhares de internamentos hospitalares a cada ano. É igualmente a doença crónica mais comum nas crianças.

A asma leva à compressão e inflamação das vias aéreas, causadas por uma resposta exagerada dos brônquios a uma variedade de estímulos, inalatórios, alimentares, climáticos ou medicamentosos, levando a libertação de mediadores inflamatórios e dificultando a respiração.

Uma grande causa da alta morbidade e mortalidade da asma é a falta de informações sobre a doença e um grande índice de rejeição à medicação inalada, que evoluiu muito ao longo dos últimos anos e propicia à maioria dos pacientes um eficiente controle sobre a doença. As crises de asma são geralmente recorrentes e caracterizadas por pieira, falta de ar, tosse predominantemente seca e desconforto torácico (“aperto no peito”), podendo causar grande sofrimento. Os sintomas podem ocorrer diversas vezes ao longo do dia, podendo agravar-se durante a noite.

A prevenção precoce é fundamental para o favorecimento do tratamento da doença.

Alguns dos fatores que podem facilitar a ocorrência da asma e que devem ser evitados são:

· Ácaros, pelos de cães e gatos, alergenos de baratas e os fungos (mofo). Estes alergenos podem acumular-se na cama (almofadas, cobertores), nas cortinas, tapetes e peluches

· Aquecedores e fogões a gás, lareiras (queima de madeira)

· Exposição a agentes irritativos, como a poluição ou fumo do tabaco

· Odores fortes (perfumes, produtos de limpeza, fritos, tintas).

Outros fatores, com os quais se deve ter também alguma precaução pois podem desencadear a crise de asma são, as infeções das vias aéreas (geralmente causadas por vírus), o exercício físico (em particular em ambientes frios), o refluxo gastroesofágico, certas medicações e alimentos, e os fatores emocionais que, embora isolados não provoquem asma, a ansiedade, o medo e o stress podem causar a fadiga, que pode também aumentar os sintomas da asma e agravar uma crise.

Alguns dos cuidados mais importantes a ter para evitar a crise de asma são: – Colocar capas em  colchões e almofadas; –  Lavar semanalmente as roupas de cama; – Retirar cortinas, tapetes, carpetes; – Evitar animais domésticos; – Promover a ventilação do ambiente.

Globalmente existem dois tipos de tratamentos utilizados no controlo da asma que podem ser utilizados também em associação:

  • Medicação de controlo, cujo objetivo é prevenir as crises e os sintomas. Neste grupo incluem-se as medicações anti-inflamatórias, como os corticoides, que são feitas por inalação e outras medicações de controlo, como os antileucotrienos e os broncodilatadores anticolinérgicos inalados.
     
  • Medicação de alívio, cujo objetivo é aliviar rapidamente os sintomas de asma e que também pode ser usada associada à medicação anti-inflamatória inalada com a função de controlo. Neste grupo incluem-se os broncodilatadores, administrados por inalação.

Além dos medicamentos, os asmáticos devem procurar descansar, manter-se bem nutridos e participar de atividades físicas regulares e apropriadas para o seu bem-estar. Todos estes fatores colaboram para o controlar desta doença.