Ligados pela saúde
WhatsApp Icon

Fale connosco
por WhatsApp

939670069

A atividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar

A atividade física e os desportos saudáveis são essenciais para a nossa saúde e bem-estar.

Constituem um dos pilares para um estilo de vida saudável, a par de alimentação, vida sem tabaco e o evitar de outras substâncias perniciosas para a saúde.

A evidência científica e a experiência disponível mostram que a prática regular de atividade física regular e o desporto beneficiam, quer fisicamente, quer socialmente, quer mentalmente, toda a população, homens ou mulheres, de todas as idades, incluindo pessoas com incapacidades.

O sedentarismo e o aumento de doenças passíveis de prevenção

O mundo tem assistido a um aumento significativo das doenças cardiovasculares, cancro, diabetes e doenças respiratórias crónicas. Este aumento global, epidémico, destas doenças está estritamente relacionado com alterações dos estilos de vida, nomeadamente, o tabagismo, inatividade física (sedentarismo) e a uma alimentação não saudável.

O risco de se ter uma doença cardiovascular aumenta 1,5 vezes nos indivíduos que não seguem as recomendações mínimas para a atividade física. Ao mesmo tempo que o número de indivíduos com excesso de peso e obesidade aumenta rapidamente, nos países desenvolvidos e nos países em desenvolvimento, também aumenta o excesso de peso e a obesidade na população mais jovem. A atividade física é a chave para o controlo do peso.

Benefícios diretos e indiretos da atividade física

A atividade física reduz o risco de doenças cardiovasculares, de alguns cancros e de diabetes tipo 2. Estes benefícios são mediados através de muitos mecanismos: em geral, consegue-se através da melhoria do metabolismo da glicose, da redução das gorduras e da diminuição da tensão arterial.

A participação em atividades físicas pode melhorar o sistema musculoesquelético, o controle do peso corporal e reduzir os sintomas de depressão.

Vantagens da Atividade Física Regular

 • Reduz o risco de morte prematura;

 • Reduz o risco de morte por doenças cardíacas ou AVC, que são responsáveis por 1/3 de todas as causas de morte;

• Reduz o risco de vir a desenvolver doenças cardíacas, cancro do cólon e diabetes tipo 2;

 • Ajuda a prevenir/reduzir a hipertensão, que afeta 1/5 da população adulta mundial;

• Ajuda a controlar o peso e diminui o risco de se tornar obeso;

• Ajuda a prevenir/reduzir a osteoporose, reduzindo o risco de fratura do colo do fémur nas mulheres;

• Reduz o risco de desenvolver dores lombares, pode ajudar o tratamento de situações dolorosas, nomeadamente dores lombares e dores nos joelhos;

 • Ajuda o crescimento e manutenção de ossos, músculos e articulações saudáveis;

• Promove o bem-estar psicológico, reduz o stress, ansiedade e depressão;

• Ajuda a prevenir e controlar comportamentos de risco (tabagismo, alcoolismo, toxicofilias, alimentação não saudável e violência), especialmente em crianças e adolescentes.

Qual a quantidade de exercício físico que é necessário para melhorar e manter a saúde?

De acordo com a OMS, recomenda-se que os adultos, entre os 18 e os 64 anos, façam duas horas e meia de atividade física de intensidade moderada por semana. Caso se trate de uma intensidade mais exigente, as guidelines aconselham cerca de metade do tempo referido.

A par disso, a organização sublinha ainda a importância da inclusão de atividades que contribuam para a manutenção, ou melhoria, da força e resistência muscular. Em relação às crianças, as recomendações apontam para um mínimo de uma hora diária de atividade física.

Está provado que fazer do exercício físico um hábito, em todas as idades, é sinal de mais saúde e longevidade. Assim, aconselha-se a desenvolver um conjunto de estratégias simples, seja em casa, no trabalho ou em períodos de lazer, que possam ajudar a integrar a atividade física na rotina.